• Página Inicial
  • Palestra
  • Como correu...
  • Herói da semana
  • Vilão da semana
  • Entrevista
  • Entrevista - Jorge (Porta19) - Parte 1

    01/09/2012

    Com o intuito de reforçar laços entre blogs azuis e brancos, realizamos uma entrevista com o blog portista mundialmente conhecido, "Porta19". Aqui fica:

    Como surgiu o porta 19?. 
    Em Maio de 2009, enquanto trabalhava num dos piores empregos que tive na minha vida, simplesmente porque consultava alguns blogues de futebol (o defunto Mãos ao Ar, sportinguista, era um dos preferidos) e achei que era altura de arrancar um em que pudesse mandar cá para fora as minhas ideias, a minha maneira de ver o jogo e acima de tudo de ver o clube. O nome apareceu porque não me quis vincular simplesmente à imagética do dragão ou do azul-e-branco, por isso optei pela porta que me dava acesso habitual ao estádio onde tinha algumas das maiores alegrias desportivas na minha vida.


    Quem é o homem por de trás do porta 19 (idade, nome, o que faz...)?
    O homem, ou talvez a criança dentro do homem, chama-se Jorge e tem agora trinta e três anos de vida. Sou engenheiro de formação e vivo no mundo dos computadores, da programação e ocasionalmente da boa vida. Vivo com a minha namorada, benfiquista do cabelo aos pés, que gosta de futebol e de mim. Creio que a ordem, que não altera o produto, estará trocada, mas pode ser só optimismo da minha parte.

    O que o move?
    Acima de tudo gosto de escrever. Não me sentia plenamente representado pelas opiniões da blogosfera azul-e-branca e como tal há uma necessidade intrínseca a qualquer pessoa de se fazer ouvir, de dizer o que pensa e o que crê ser a melhor forma de ver as situações do dia-a-dia. Neste caso, o dia-a-dia de uma instituição que defendo mas que sinto que devo sempre analisar pelo único prisma que conheço: o pessoal.

    De onde nasceu o amor pelo fcp?
    Sucintamente, nasceu de um calcanhar e de uma finta brilhante que deu um cruzamento para um golo inesquecível. Foi em Viena que nasci para o futebol e para o FC Porto, porque até aí não tinha tido uma enorme influência familiar em nenhuma direcção desportiva relevante. Foi nesse jogo, a gritar pelos corredores da casa dos meus pais, que me fiz portista. E desde esse segundo nascimento nunca parei de vibrar pelo meu clube. Creio que nunca vou parar.

    Qual o momento mais marcante da sua vida portista?
    Houve vários, espalhados pelo tempo e pelo globo. Dublin tem um espaço especial porque estive ausente de Sevilha, Gelsenkirchen, Viena e Tóquio, por isso nunca tinha visto o FC Porto a vencer um troféu europeu. Mas o momento que talvez tenha deixado a marca mais profunda foi o primeiro jogo como sócio, numa noite de nevoeiro em Novembro de 1992, quando vencemos o Benfica nas Antas com um penalty (bem marcado!) de Timofte. Ah, o que eu saltei naquelas bancadas de cimento!

    Alguma vez pensou em abandonar o blog?
    Honestamente, ainda não. Como sou só eu a gerir o que lá é publicado, há alturas em que não há vontade de escrever, mas prefiro esperar até que uma qualquer musa me acerte na cabeça com um tijolo e me arranque o motor novamente. Já lá vão três anos e continuo com força. A qualidade pode ser maior ou menor, mas nunca me passou pela cabeça fechar o tasco. Há sempre muita coisa para dizer.

    Sendo alguém já com muita experiência em blogs, o que sugeres para quem está a começar nestas andanças?
    Não tenho assim tanta experiência (só três aninhos, há muito blogger por aí fora que me bate aos pontos), mas já me fizeram várias vezes essa pergunta e respondo sempre da mesma maneira: não vale a pena estarem nesta vida se não querem marcar a diferença pela positiva. Copiar notícias dos jornais e escrever lugares-comuns é fácil e qualquer um consegue fazê-lo com uma ligação à internet e dez minutos por dia. Mas só vão conseguir ser uma voz activa se forem honestos com o vosso próprio pensamento e debitarem cá para fora o que realmente sentem, preferencialmente a frio para deixar as emoções passar e a análise crítica vir ao de cima. Nem sempre é fácil, mas tentem e vão ver que as ideias saem mais correctas.

    Frequenta algum fórum portista?
    Raramente. Era um frequentador assíduo do Portal dos Dragões aqui há uns anos mas hoje em dia dou um salto ocasional ao Somos Porto e nada mais. Prefiro blogs a fóruns ou redes sociais, acima de tudo porque acho que um blog é pessoal, nasce da necessidade de assentar ideias e de as colocar num contexto mais pensado e analisado, ao passo que a maioria dos fóruns e redes sociais servem para desabafos, gritaria e discussões inócuas. Não critico quem o faz, mas não é para mim.

    O que pensas do Benfica?
    Não lhes quero mal, acredita. O Benfica é um clube centenário, importante no país e no mundo e não imagino a nossa vida como portista sem ter um rival à altura que possa enaltecer os confrontos. Desgosto da atitude de muitos adeptos e líderes, mas acima de tudo abomino a maneira como os seus líderes e toda a comunicação social leva esses mesmos adeptos a não conseguirem pensar pela própria cabeça e a desligarem o cérebro em função do que lhes dão a deglutir. E o Benfica, rival como é e será, merecia mais. Nós, como portistas, merecíamos um Benfica mais estável, menos dado a guerrinhas e a tentar travar as batalhas no sítio onde devem ser disputadas, dentro do campo. Por isso o Benfica como instituição, merece-me todo o respeito. Uma boa fatia dos seus adeptos, nem por isso.

    Continua...

    1 comentários:

    1. Tomé Silva disse...:

      Desejo toda a sorte do mundo neste projecto.

      Irei acrescentar este espaço á minha lista de blogues.

      É pouco mas é de boa vontade.

      Abraço.

      www.Vamosjogarnototobola.blogspot.pt

    Publicar um comentário