• Página Inicial
  • Palestra
  • Como correu...
  • Herói da semana
  • Vilão da semana
  • Entrevista
  • Vilão da semana: o (suposto) fecho do mercado de transferências

    07/09/2012


    Depois do término do período de transferências, a 31 de Agosto, em Portugal e nos principais campeonatos da Europa, tudo indicava que o FC Porto conseguisse manter uma das suas jóias da coroa, o incrível Hulk. Porém, surpresa para muitos, eis que um clube do futebol russo, o Zenit de São Petesburgo, beneficiando de um fecho de mercado tardio, se chegou à frente com 60 milhões de euros, convencendo os responsáveis azuis e brancos e a principal referência do plantel portista.




    Inconformado com o a situação vivida e com a perda de um jogador importantíssimo (situação que já não lhe é estranha), o treinador dos bicampeões nacionais, Vítor Pereira, convidado para o 14.º Fórum de Elite de Treinadores da Uefa, colocou a discussão em cima da mesa.

    Citando Vítor Pereira:
    “Não estou de acordo com isso, é inconcebível estar a disputar provas como a Supertaça europeia e pré eliminatórias de Liga Europa e Liga dos Campeões, com os planteis a não estarem definidos e com jogadores que não estão totalmente concentrados nos objetivos”.
    “Fechar num país e estar aberto noutro não faz sentido. Não é correto e gostava de saber a quem isto beneficia. Eu sei a quem beneficia mas quero ouvir amanhã da boca dos responsáveis”.

    O Azzul não pode deixar de concordar com o treinador dos dragões, nesta delicada situação. O fecho dos mercados deve ser algo universal e homogéneo nas datas, para que uns não beneficiem mais do que outros. A verdade é que agora o FC Porto, orfão da sua referência atacante, poderá comprometer todo o planeamento de um ano por não poder encontrar nenhum substituto à altura. Teremos de contar com o que há, esperando uma afirmação e uma subida de rendimento do internacional português Silvestre Varela.

    Existem algumas soluções para este problema. Uma das principais talvez seja a antecipação das datas limites de transferências para que os jogadores possam ter a sua vida profissional definida antes das grandes competições europeias e mesmo antes do início dos campeonatos. Outra, talvez a mais indicada, é a uniformização do fim do mercado de transferências para todos os campeonatos europeus.

    A verdade é que, até agora, não houve nenhum feedback por parte das altas instâncias da Uefa. O Azzul ficará por aqui, atento aos desenvolvimentos desta questão. Quanto a Vítor Pereira, queremos que saiba que conta com todo o nosso apoio neste assunto.

    0 comentários:

    Publicar um comentário