• Página Inicial
  • Palestra
  • Como correu...
  • Herói da semana
  • Vilão da semana
  • Entrevista
  • Como correu...: FC Porto 2 - 0 Sporting CP

    08/10/2012


    Depois de ter jogado a meio da semana para a liga milionária, onde arrecadou um saborosa vitória contra um dos novos ricos, o FC Porto recebeu e bateu, no Estádio do Dragão, um dos seus grandes rivais, o Sporting CP. Apesar dos maus resultados que tem vindo a arrecadar, um jogo contra os Dragões é sempre razão de uma maior motivação e entrega, para não falar da troca de treinador que poderia incentivar os jogadores leoninos a saborear o gosto dos pontos.



    Com uma entrada fulgurante na partida, a equipa azul e branca foi carregando e ameaçando a baliza contrária. Com um Sporting fragilizado, era necessário marcar cedo para que a verde moral se mantivesse baixa. Não foi de estranhar que, quando estavam apenas nove minutos volvidos, o FC Porto se adiantasse no marcador, através de um golo soberbo de Jackson Martínez. Uma desmarcação, um passe, uma receção e um calcanhar delicioso tornava-se motivo suficiente para os adeptos saltarem, exuberantes, na bancada do Dragão.

    A partir daí, tendo jogado a meio da semana e não estando em plena condição física (apesar de ter tido mais um dia de descanso), a equipa do Porto começou a acalmar o jogo, possibilitando ao Sporting a criação de várias oportunidades desnecessárias. Os ataques organizados e a posse de bola começou a escassear e, para piorar a situação, Maicon lesionou-se condicionando a estratégia de Vítor Pereira.
    Apesar de tudo, nada de extremamente relevante se passou, não havendo oportunidades de maior para as duas equipas.

    Após o intervalo, acalmadas as tropas, era necessário gerir o jogo e acelerar quando o jogo assim o possibilitasse. Varela, uns furos abaixo, não foi capaz de dar maior acutilância ao ataque, estagnando o jogo ou tornando-o mesmo inconsequente. Porém, no final do primeiro quarto de hora de jogo, o FC Porto teve finalmente uma oportunidade soberana de aumentar a vantagem, com a ingenuidade de Cédric Soares a tocar com o braço na bola dentro de área, oferecendo um penalty à equipa da casa. Um caso que não deixa caso para dúvidas, como já esclareceram as imagens. Chamado à marcação, El Comandante desperdiçou, atirando a bola ao poste da baliza de Patrício.

    As oportunidades iam surgindo, os amarelos também, e quando ainda faltavam 20 minutos para o final do jogo, o Sporting fica reduzido a dez jogadores, por pura estupidez de Marcos Rojo. Era a altura ideal para aumentar a vantagem e matar o jogo. Os ataques surgiam mas eram sempre mal concretizados. Aos 80 minutos do tempo regulamentar, os dragões ficam reduzidos também a 10 elementos, devido ao cansaço muscular evidenciado por Alex Sandro.
    Se se adivinhava um maior equilíbrio em campo, no minuto seguinte Jackson parece ser derrubado dentro da área, na sequência de um pontapé de canto, havendo novo penalty e nova oportunidade para o FC Porto aumentar a vantagem. Se no primeiro penalty não restavam dúvidas, este é bastante dúbio, não havendo as câmaras necessárias para tirar as dúvidas dos adeptos. Lucho já tinha saído e James foi chamado a cobrar, beijando as redes adversárias pela segunda e última vez e aumentado o placar para 2-0.
    Estava feito o resultado. Estava acabado o jogo.

    Destaques positivos:

    - Jackson Martínez: Parece ainda não ter demonstrado todas as suas qualidades, no entanto, a sua entrega ao jogo e o seu trabalho com a equipa é de realçar.

    - Alex Sandro: Está um senhor lateral! Aquelas incursões pelo corredor são uma mais valia no ataque azul e branco. Tem de aprender a conter-se em algumas situações. Saiu por cansaço, quando era necessário manter os onze jogadores em campo.

    - James: O miúdo foi igual a si mesmo. Enorme.

    - Helton: Há muito tempo que o capitão não era chamado para tanto trabalho. Correspondeu, demonstrando que continua ali para longos tempos.

    Destaques negativos:

    - Varela: Não esteve nos seus dias. Muito inconsequente.

    - A arbitragem e o critério fechado de Jorge Sousa. Foram amarelos atrás de amarelos e alguns erros que foram condicionando o futebol das duas equipas.
    ´

    Dois jogos importantes, duas vitórias. Estamos lançados! Continuem!

    0 comentários:

    Publicar um comentário